Rua Paraíba, 1465 / Sala 1101 . Savassi . Belo Horizonte

D&T Prominas | MPSO | Process Point: Decisões Inteligentes durante o Sequenciamento de Lavra.

No Dicas & Truques de hoje destacamos uma opção que deixa o MinePlan Schedule Optimizer (MPSO) ainda melhor: o Process Point. Um novo tipo de destino que possibilita um sequenciamento que leva em consideração detalhes operacionais de sua mina. Esse excelente recurso já está sendo utilizado com excelência e obtendo expressivos resultados operacionais e econômicos aqui no Brasil por operações de Níquel e Bauxita, conforme o fluxograma de processo abaixo:

Nas metodologias clássicas de sequenciamento as transformações às quais os materiais “in situ” são submetidas ao longo do processo de lavra e beneficiamento são determinadas “a priori”. Em um exemplo simples, no fluxo tradicional, caso um material a ser lavrado passe por alterações de massa e teor em função da recuperação na lavra e diluição, essas modificações são introduzidas nos recursos na forma de fatores que afetam toda a massa de forma incondicional e anterior ao sequenciamento.

O que o Process Point permite é uma alteração condicional que afeta uma parcela específica da massa lavrada de forma diferenciada e otimizada ao longo dos períodos sequenciados, em resposta a condições que só podem ser conhecidas ao longo do sequenciamento. Em outras palavras, o Process Point permite um tratamento “a posteriori” e “ad hoc” que muito melhor reproduz as decisões operacionais tomadas durante a vida do empreendimento mineral.

Funcionando como um ponto de entrada e saída de material o Process Point permite, através de cálculos simples, que parâmetros do material como massa, teor, recuperação sejam alterados e sub-fluxos sejam gerados e enviados para outros destinos respeitando dessa forma restrições do sequenciamento e oferecendo oportunidades de otimização da função benefício.

Um exemplo prático seria utilizar o Process Point para modelar uma planta de beneficiamento que separe a alimentação em um fluxo destinado à barragem de rejeito e outro de produto, resultado de alterações físicas e químicas, destinado ao embarque ou processamento adicional.

Na figura abaixo apresentamos um processo real no MPSO, onde a planta intermediária de “pre-processamento” pode ser avaliada em sucessivas rodadas do sequenciador de forma otimizada  determinar qual seria o melhor destino para o material, o envio direto para a planta ou passar por um processo prévio.

Dentro do projeto no MPSO, o Process Point pode ser adicionado na aba do Process Flow, assim como é realizado com os outros destinos. Uma vez adicionado ao fluxo e clicando sobre seu ícone, é possível acessar suas Propriedades e definir em Calculation qual será a alteração feita no material que passa pelo Process Point. Os cálculos podem ser facilmente criados através dos Templates existentes ou com a utilização de tokens que representam as diversas variáveis do projeto.

A seguir todas as restrições relacionadas a destinos podem também ser definidas para o Process Point, criando assim limites para massa, volume, materiais provenientes de retomadas, teores, tipos de materiais, razões, e outras restrições específicas.

Por fim, após o sequenciamento otimizado de seu projeto, os relatórios dinâmicos do MPSO trarão todas as informações referentes a entrada e saída de materiais no Process Point em cada um dos períodos.

E aí, gostou da novidade? Deixe seu comentário.

Para maiores informações sobre o Process Point, entre em contato com nossa equipe que teremos satisfação em atendê-lo.

Até a próxima!!!

Equipe Prominas Mining

Deixe o seu comentário

FALE CONOSCO NO WHATSAPP